Notícias


TJC debate ações no 12º Encontro Nacional

 

 

Coordenadores do Programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC) de diversas Amatras reúnem-se nesta quinta e sexta-feira (23 e 24/11), em Belo Horizonte, para o 12º Encontro Nacional do TJC. O encontro é realizado anualmente e tem como objetivo avaliar e debater as ações do Programa, bem como traçar novas metas para o próximo ano, e compartilhar os relatos e as experiências do Programa em cada estado. O Encontro é promovido pela Anamatra e este ano conta com apoio da Amatra 3 (MG), que sedia o evento.

Na abertura do evento, a diretora de Cidadania e Direitos Humanos da Anamatra, Luciana Conforti, que coordena os trabalhos do encontro, lembrou da importância da troca de experiências, para integração e planejamento de novas ações, com a inclusão de novos temas sensíveis aos direitos humanos, como o combate à discriminação racial. “O projeto da Diretoria de Direitos Humanos da Anamatra é que haja a integração das comissões nacionais de DH e do TJC, pois não é possível executar as ações separadas, e isso fomenta essa interligação, imprescindível para que os trabalhos fluam com mais naturalidade, e possamos ampliar o leque de temas trabalhados. Nós estamos vivendo momentos difíceis e, mais do que nunca, esses temas relacionados aos direitos humanos e às normas internacionais do trabalho serão indispensáveis para nos aproximar da sociedade e realizar uma transformação social efetiva”.

Também presente na abertura, o presidente da Amatra 3, Glauco Becho, exaltou que o Programa é uma iniciativa consolidada, com retorno positivo para todos os envolvidos. “Num momento de tanto egoísmo, na sociedade como um todo, temos que parabenizar a Anamatra e cada um de vocês que abrem mão da vida pessoal e das demandas, para fazer esse trabalho que dá resultado. O sucesso do TJC a gente vê no olhar de cada criança. Espero que esse programa cresça ainda mais com o trabalho dos juízes”.

A coordenadora do TJC na 3ª Região, juíza Ana Maria Espí Cavalcanti, reforçou a satisfação de fazer parte do projeto, desenvolvido hoje nas escolas do munícipio de Vespasiano. “Tem sido uma experiência muito bacana, os alunos ficam ansiosos para participar do programa. Fico muito satisfeita do TJC só ter crescido mais e mais”.

A diretora de Eventos e Convênios, Rosemeire Fernandes, que assumiu este ano a coordenação nacional do TJC, falou da importância do aprendizado que o Programa traz não só para os destinatários diretos, mas também para o próprio juiz. “O Programa é uma fonte de grandes amizades e tenho uma visão muito revolucionária. O TJC promove mudanças no magistrado, na sociedade, sobretudo porque transmite uma ideia de protagonismo social, que foi o que fez nascer o TJC: a necessidade de aproximar o Judiciário da população, e instrumentalizar a sociedade para promover essa revolução”.

A juíza do Trabalho aposentada, Eliete Teles, que foi coordenadora nacional do programa, também aproveitou a ocasião para realizar, em caráter oficial, a passagem do posto de coordenadora à juíza Rosemeire Fernandes. “É preciso lutar, é preciso levantar, é preciso resistir. E esse trabalho desenvolvido pela Anamatra é essencial. Não podemos desanimar e precisamos defender o direito do trabalho como instrumento civilizatório para a humanidade, e sei que o Programa está entregue nas melhores mãos”.

Relatos

Na ocasião, os coordenadores regionais do TJC relataram o desenvolvimento do programa nos estados, bem como as dificuldades enfrentadas, os retornos positivos das ações e o orgulho de participar da iniciativa mesmo diante de situações desafiadoras. Também destacaram a capacitação de um grande número de professores que, por sua vez, repassam esse aprendizado aos estudantes, que veem com admiração os ensinamentos e procuram se espelhar nos exemplos recebidos. Os coordenadores ainda apresentaram as parcerias realizadas para implementação e avanço do programa, além das sugestões de novas iniciativas para ampliar a atuação do TJC nos estados.

Estiveram presentes ao Encontro representantes das Amatras do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco, Pará e Amapá, Paraná, Roraima, Maranhão, Espírito Santo, Rio Grande do Norte e Mato Grosso.

Culminância 

O Encontro Nacional encerra nesta sexta-feira (24/11) com a culminância dos alunos de instituições de ensino do município mineiro de Vespasiano, que apresentarão o que aprenderam durante o ano com o TJC.

Sobre o TJC

O Programa Trabalho, Justiça e Cidadania foi criado em 2004 por iniciativa de cidadania da Anamatra, e é desenvolvido, regionalmente, pelas Amatras. Até o ano de 2016, o TJC beneficiou mais de 150 mil pessoas e envolveu 15 mil educadores em 22 estados e no Distrito Federal. Por meio do Programa magistrados do Trabalho em parceria com membros do Ministério Público, advogados, professores de Direito e servidores do Judiciário, levam noções básicas de direitos fundamentais, Direito do Trabalho, Direitos da Criança e do Adolescente, Direito do Consumidor, Direito Penal, ética e cidadania nas escolas, especialmente as públicas, de diversos estados e municípios.

Entre as ações realizadas, o Programa possibilita a visita dos alunos ao Poder Judiciário e a realização de culminâncias com a apresentação de esquetes criadas pelos alunos com o acompanhamento de professores e magistrados. A Cartilha do Trabalhador é o principal instrumento de aplicação do TJC. Elaborada em linguagem simples e atrativa, permite ensinar direitos e deveres do cidadão, assim como o funcionamento da Justiça do Trabalho, de forma didática. Clique aqui e conheça essa e outras publicações utilizadas pelo Programa.

FONTE: Anamatra

FOTO: Anamatra



Mais Notícias



VOLTAR